Julgamento do STF sobre PIS/Cofins cria pressão por reforma tributária
>
>
Julgamento do STF sobre PIS/Cofins cria pressão por reforma tributária

Resultado deve levar a redução da base de incidência dos dois tributos

Apesar de ter ficado em segundo plano nas últimas semanas, a reforma do PIS/Cofins em elaboração no governo federal tem um importante fator de pressão para que o governo não demore muito a enviá-la: o julgamento final da retirada do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins, previsto para ocorrer em dezembro pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Como no mérito o resultado do processo já é conhecido, a conclusão sobre os embargos (recursos que pedem explicações sobre como deve ser aplicada a decisão e se ela será retroativa) apresentados pela União deve ensejar a pronta redução da base de incidência desses dois tributos.

Nesse sentido, fontes do governo apontam que a reforma do PIS/Cofins, que já deve contemplar no novo desenho do tributo a retirada do ICMS da base de cálculo, viria calibrada para manter o atual nível de arrecadação. Se não avançar com a proposta de mudanças, o governo vai ter que resolver se aceita perder arrecadação, em um ambiente fiscal deficitário, ou se elevará as alíquotas atualmente em vigor para compensar a perda de receita que vai se intensificar a partir do momento em que o STF concluir o processo.

A reforma do PIS/Cofins, que seria o primeiro passo dado pelo governo federal para um processo mais amplo de revisão do sistema nos próximos anos, visa resolver o problema de excesso de complexidade desse sistema, reduzindo não só as disputas entre empresa e governo sobre o que gera ou não direito de crédito tributário, mas também racionalizando as regras.

A ideia de unificação dos dois tributos vem sendo estudada há anos, ao menos desde 2015, quando Dilma Rousseff ainda estava no poder. A equipe econômica seguinte, comandada por Henrique Meirelles, deixou um modelo pronto, já considerando o resultado do julgamento do STF, mas não chegou a apresentar sua proposta.

Uma das ideias na ocasião era trabalhar com mais de uma alíquota para o novo tributo, de forma a reduzir resistências de setores como o de serviços, que têm menor capacidade de aproveitamento dos créditos gerados pelo recolhimento de tributos nas etapas anteriores do processo produtivo.

Embora não esteja descartada, a hipótese de mais de uma alíquota perdeu força. A versão mais recente da área técnica do Ministério da Economia trabalhava com uma taxa em torno de 11%, indistinta para todos os segmentos, e excluindo o ICMS da base de cálculo, embora definindo exatamente o escopo de recolhimento do tributo.

Recentemente, a Receita Federal causou polêmica junto aos tributaristas ao publicar uma Instrução Normativa (IN 1911) consolidando em um só dispositivo todas as regras vigentes para os dois tributos. O motivo da insatisfação foi a interpretação, já anteriormente manifestada pela Receita em solução de consulta, de que a exclusão do ICMS da base do PIS/Cofins seria relativa apenas ao tributo estadual a ser efetivamente recolhido pelo contribuinte. Ou seja, ficaria na base de tributação o que foi recolhido em etapas anteriores e que são considerados créditos do sistema não cumulativo do ICMS.

A interpretação da Receita expressa na IN foi vista como uma sinalização do que pode vir na reforma do PIS/Cofins.

Por Fabio Graner

Fonte: Valor Econômico

Não existem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossas Unidades

São Paulo / SP
Av. Roque Petroni Junior, 850 – 19º And. Torre Bacaetava – Brooklin
São Paulo / SP – CEP: 04707-000

Telefone: (11) 3876-1360
Email: contato@lopescastelo.adv.br

Recife / PE
Av. Antônio de Góes, 60 – 14º and.
JCPM Trade Center – Pina – Recife / PE
CEP: 51010-000

Telefone: (81) 3040-0053
Email: filialrecife@lopescastelo.adv.br

Rio de Janeiro / RJ
Rua República do Chile,  330 – 14º And.
Torre Oeste – Centro – Rio de Janeiro/RJ
CEP: 20031-170

Telefone: (21) 2391-4764
Email: filialrio@lopescastelo.adv.br

Vitória/ES
Rua Jose Alexandre Buaiz, 300 – 20º And.
Enseada do Suá – Vitória/ ES
CEP: 29050-545

Telefone: (27) 4040-4948
Email: filialvitoria@lopescastelo.adv.br

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar!

Shopping Cart