Novo parcelamento de ICMS em SP e a possibilidade de discussão dos juros cobrados além da taxa SELIC Federal
>
>
Novo parcelamento de ICMS em SP e a possibilidade de discussão dos juros cobrados além da taxa SELIC Federal

Os decretos 58.811/12 e 58.921/13 do Poder Executivo do Estado de São Paulo regulamentaram nova oportunidade de parcelamento de débitos de ICMS (fatos geradores ocorridos até 31/7/12), com anistia parcial de multas e juros, para adesão eletrônica no período de 1/3/13 a 31/5/13. O recente decreto 59.255/13 prorrogou o prazo para adesão até 31/8/13.

No que se refere aos juros, que interessam mais de perto à presente análise, a redução é de 60% no pagamento à vista em parcela única, e de 40% para as demais hipóteses de parcelamento (de 24 até 120 prestações).

A lei paulista 13.918/09 havia modificado o art. 96 da lei 6.374/89 (diploma que cuida da cobrança do ICMS) para estipular que os juros devidos no Estado de São Paulo sobre dívidas de ICMS passariam a ser cobrados no patamar de 0,13% ao dia, sendo certo que, mesmo após Resoluções do Secretário de Estado da Fazenda reduzindo o gravame para 0,1% ao dia, os juros acumulados anuais ultrapassaram a casa dos 30% em 2010 e 2011, porque fixados com base na taxa de desconto de duplicatas praticada no mercado financeiro (conforme Resolução SF 98/10).

É fácil verificar que as reduções proporcionadas com o parcelamento acima referido atenuam muito pouco a elevadíssima taxa de juros cobrada em face de débitos de ICMS em São Paulo, devendo o contribuinte agir com cautela na adesão eletrônica à moratória, já que em muitos casos (particularmente no tocante a débitos vencidos antes de 2009) o cálculo fazendário disponibilizado na tela de adesão pode apresentar saldo remanescente elevado de juros mesmo após os descontos.

A taxa de juros em São Paulo já foi objeto de decisões do Supremo Tribunal Federal (RExt 183.907 e ADin 442) e do TJ/SP (Incidente de Inconstitucionalidade 0170909-61.2012.8.26.0000) no sentido de que o patamar máximo admissível corresponde à taxa SELIC federal.

Para os contribuintes prejudicados com o excesso de juros nos débitos, inclusive aqueles que aderiram ao parcelamento acima comentado, resta ingressar com a ação judicial cabível, seja para reaver o pagamento da parcela em excesso, seja para obter provimento que autorize a adesão à moratória com a delimitação dos juros ao patamar razoável da taxa SELIC – sem prejuízo dos descontos previstos nas regras do parcelamento. A própria ação de consignação (art. 164 do CTN) é alternativa teoricamente viável, onde o contribuinte deposita em Juízo apenas o montante que entende ser devido.

Isso porque, a rigor, mesmo a confissão do débito no parcelamento não impede que o contribuinte discuta judicialmente o dimensionamento da exigência, se houver cobrança que exceda os limites legais, dado que em direito tributário prevalece apenas a exigência que esteja amparada na lei – independentemente da vontade das partes e, portanto, a despeito de confissão da dívida na esfera administrativa (conforme jurisprudência pacífica do STJ, por exemplo, no REsp 1.133.027/SP).

Fonte Migalhas

____________

Cabe esclarecer a toda e qualquer empresa, qual a forma mais viável da discussão dos juros abusivos. Lembrando que, realmente este parcelamento (PEP) está aquém de ser uma solução viável as empresa que possuem débitos e desejam regularizar o seu passivo de ICMS e até mesmo para obtenção de Certidão Negativa de Débitos. O contribuinte poderá ingressar com ação antes, após a respectiva adesão, ou depois do pagamento da primeira parcela.

Dr. Raphael Alonso

Não existem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nossas Unidades

São Paulo / SP
Avenida Paulista, 575 – 12º And.
Bela Vista – São Paulo / SP
CEP: 01311-000

Telefone: (11) 3876-1360
Email: contato@lopescastelo.adv.br

Recife / PE
Av. Antônio de Góes, 60 – 14º and.
JCPM Trade Center – Pina – Recife / PE
CEP: 51010-000

Telefone: (81) 3040-0053
Email: filialrecife@lopescastelo.adv.br

Rio de Janeiro / RJ
Rua República do Chile,  330 – 14º And.
Torre Oeste – Centro – Rio de Janeiro/RJ
CEP: 20031-170

Telefone: (21) 2391-4764
Email: filialrio@lopescastelo.adv.br

Vitória/ES
Rua Jose Alexandre Buaiz, 300 – 20º And.
Enseada do Suá – Vitória/ ES
CEP: 29050-545

Telefone: (27) 4040-4948
Email: filialvitoria@lopescastelo.adv.br

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar!

Shopping Cart